A organização das relações comerciais entre produtores brasileiros, uruguaios, argentinos e paraguaios é uma missão que o senador Luis Carlos Heinze (PP/RS) tem realizado nos últimos anos. Nesta sexta-feira (13), o parlamentar esteve na abertura da colheita do arroz em Bella Unión, no Uruguai, na propriedade da família Pinczak. O presidente da República uruguaia, Luis Lacalle Pou, acompanhado do ministro da Agricultura, Carlos Maria Uriarte e do presidente da associação dos arrozeiros do país, Alfredo Lago, recebeu o parlamentar brasileiro.

A intenção do congressista é promover uma discussão que convirja para uma política comum entre os países, melhorando os ganhos dos produtores que passam por uma crise. “No ano passado, nos reunimos em Uruguaiana, com representantes da cadeia dos países, e chegamos a conclusão de que temos um excedente muito grande do grão no Mercosul, interferindo diretamente no preço”, lembrou Heinze.
Neste contexto, segundo o senador, o Paraguai fez a lição de casa e exportou grande parte da produção para fora do Mercosul. O Uruguai, na safra passada, cultivou 146 mil hectares e destinou 39% do arroz para o mercado brasileiro. “Eu acredito que todos temos que colaborar buscando novos mercados. Claro, defendo os nossos produtores, mas resolvendo o problema todos ganham, com influência direta no valor do grão”, completou.
Outra questão levantada pelo grupo, composto por representantes das federações de produtores dos quatro países, é a construção de uma hidrovia ligando Bella Unión/Barra do Quaraí até Montevidéu, passando por Uruguaiana, Itaqui e São Borja. Durante a cerimônia da colheita, representantes da região entregaram ao presidente do Uruguai uma carta pedindo a viabilidade do projeto. “Isso facilitaria o comércio, as exportações, não só do arroz, mas, também da soja e, até mesmo, da madeira. Eu estou trabalhando por isso no Brasil. Técnicos da UFRGS já estão realizando um estudo. Nós vamos criar parcerias com a iniciativa privada para a realização dessa obra”, destacou o senador.
O Rio Grande do Sul é responsável por 80% de toda a produção do arroz no Brasil, com foco no mercado doméstico. Os produtores estão passando por uma crise considerada uma das maiores da história.
Este é o terceiro encontro liderado pelo senador Heinze. “No primeiro, em Assunção, capital do Paraguai, em 2016, começamos a perceber que temos que trabalhar juntos para fortalecer as cadeias produtivas dos países. Temos em comum, a clareza de que precisamos nos fortalecer como grandes produtores e exportadores de alimentos”, concluiu Heinze.